Crédito da imagem: Google imagens

Crédito da imagem: Google imagens

É necessário nascer de novo

Por: Carolina Lin

Texto base para leitura:

Romanos 1:16-32; Efésios 2:1-3; 4:17-24; Romanos 5:17-21; João 3:5-6 ; 2 Timóteo 2:24-26

Esse é um assunto seríssimo e indispensável, pois trata-se do nosso destino eterno. É tão essencial, que Jesus falou que sem nascer de novo, o homem não verá a Deus. Nesse estudo, vamos aprender um pouco sobre como ocorre o novo nascimento e o que é necessário para nascer de novo. Eu não o conheço, mas estou feliz que esteja comigo e oro para que O Senhor o guie até o final do estudo, lendocom e refletindo com calma sobre esse assunto tão urgente para a alma humana. 

Eu não sei, mas talvez você já creia em Deus, frequente ou já frequentou uma comunidade cristã, ou já foi mais dedicado, quem sabe você já foi batizado nas águas e tenha feito uma confissão pública de fé., ou quem sabe até você seja resistente ao Evangelho, enfim não tem como eu saber, mas você sabe em que estado se encontra e o meu desejo é de ajuda-lo e guia-lo pelas Escrituras Sagradas, apresentar-lhe as promessas, as exortações do Senhor, o Arrependimento Bíblico e a nossa condição de morte pelo pecado. Porque é muito importante que você tenha certeza da salvação. Porque algumas pessoas lembram de quando aceitaram Jesus e fizeram uma oração entregando suas vidas a Cristo e foram contadas como mais um salvo na igreja. No entanto, algo profundo insiste em desafiar-lhes sua paz e segurança: - eu fui realmente salvo? Quais são as evidências desse poder extraordinário de salvação em minha vida, ou do que e por que eu preciso ser salvo?

Se você leu as referências acima, descobriu nossa atual condição de morte por causa do pecado e em João 3, vimos o próprio Senhor Jesus falar sobre a importância e a indispensabilidade do novo nascimento com respeito a salvação eterna. Você já parou para pensar sobre quem precisa de salvação? Pois é, um condenado sem esperança é um indivíduo que precisa de salvação. Em Romanos 5, vimos que estamos condenados por causa do pecado, em Efésios 2, vimos que estamos mortos em nossos pecados. 

Leia a referência a seguir:

Romanos 3:23; 1 Jo 3:1-10

Em Gênesis, vemos que no princípio Deus criou todas as coisas inclusive o homem, e estabeleceu um princípio de obediência que separava o homem como criatura do seu Criador, embora o homem fosse a obra prima da criação de Deus, feito a Sua imagem e semelhança, formado e capacitado com habilidades e atributos que refletiam a glória de Deus, foram feitos livres para escolher obedecer ou desobedecer, sendo o próprio Deus quem estabeleceu esse princípio e a consequência se o mesmo fosse violado. Enquanto o homem obedecesse, ele tinha livre acesso ao Seu Criador e vivia podendo desfrutar de tudo do mais belo e prazeroso que havia sido criado, inclusive a arvore da vida que estava no meio do jardim. Sabemos o final da historia e como o homem foi influenciado e persuadido a cobiçar o que havia sido proibido e dessa forma, desejou ser semelhante a Deus. Algumas pessoas pensam erroneamente que o fruto da arvore do conhecimento do bem e do mal era o pecado, mas o pecado foi consumado ao comer do fruto, pois ele teve origem na cobiça do coração pelo benefício que ele oferecia, que era tornar a criatura semelhante ao seu Criador. O pecado trouxe morte física e espiritual para a humanidade, pois esse é o salário do pecado (Rm 6:23) , mas vemos o amor incondicional de Deus ao preparar o meio para redimir (salvar) o homem condenado. 

Nós lemos que Deus ama com um grande amor. O plano de redimir e salvar o homem é desde sempre dEle. Sabemos também que Deus deu a Lei por meio dos profetas, mas o objetivo da Lei não é dizer o que se deve ou não se deve fazer, e sim ensinar como as pessoas deveriam viver. No entanto, vemos durante todo o período do Antigo testamento que ninguém conseguiu cumprir a Lei em sua totalidade e ainda que alguém conseguisse cumpri-la, não conseguiria com intenção pura de coração, e isso porque o pecado está no homem e é o pecado que torna a obediência da Lei que é boa, algo impossível. Por exemplo, você já parou pra pensar que tudo o que fazemos tem em vista algum interesse de reconhecimento ou aprovação? A Palavra de Deus diz em Romanos 3:9-12 que “não há nenhum justo, nem um sequer; não há ninguém que busque a Deus. Todos se desviaram, tornaram-se juntamente inúteis; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer.”), enfim, estamos mortos em nossos delitos e pecados e afastados da vida que há em Deus, não sentimos atração por Ele, mas Ele por seu amor, bondade e misericórdia preparou um meio para que pudéssemos ser salvos.  

O pecado não é somente algo que praticamos, nós nascemos em pecado, o pecado está em nós e quando temos nosso entendimento iluminado por Deus para essa verdade, percebemos que nem mesmo toda nossa melhor vontade e até mesmo nossas maiores obras de justiça, são insignificantes e como trapos imundos, são incapazes e insuficientes para nos redimir e salvar da ira de Deus que está contra os filhos da desobediência, afinal um morto não pode salvar a si mesmo. Leia novamente Efésios 2:1, pois “estávamos mortos em nossos delitos e pecados” e Paulo escreveu “estávamos” porque a carta foi escrita para os que já haviam nascido de novo, ou seja, os salvos. Se você ainda não nasceu de novo, então ainda está morto em seus pecados, separado de Deus e debaixo da sua ira justa.

Você já refletiu que Deus seria totalmente justo se nos condenasse todos sem chance de salvação? Sim, Ele seria totalmente justo, pois é exatamente isso que merecemos e é exatamente por isso que Ele é todo glorioso, soberano, majestoso, digno, santo, justo e fiel, e é por isso que nós O adoramos, porque Ele é justo e não se corrompe. Sendo Deus tão soberano e justo, Ele que é todo misericordioso, amou pecadores como você e eu e fez em Si mesmo, um meio para nos redimir e isso tira todo o crédito de nós e dá toda a glória para Ele eternamente.

Que Graça maravilhosa! Bendita Graça! Porque Deus amou o mundo com um amor tão grande que entregou. Sim, Ele deu seu Filho Unigênito. Ele entregou o Seu Único Filho para que todos aqueles que creem no Filho, não morram, mas vivam eternamente. Que Graça Maravilhosa! Deus demonstrou Sua Eterna vontade de nos reconciliar com Sua gloriosa presença, para sermos livres e conhece-Lo como foi no inicio da Criação. Seus filhos santos que tinham acesso a vida que é Sua Presença.  

Salmos 16:11b, na Tua Presença há plenitude de alegria, na Tua destra, delícias perpetuamente.

 

Plenitude = totalidade, inteireza, superabundância, inteireza, cheio.

Então, entendemos pela pregação do Evangelho que estamos mortos em nossos delitos e pecados, nascidos debaixo da herança de desobediência de Adão, descobrimos que a maldade está em nós, no que somos e sentimos, que não há justiça em nós, pelo contrário, há egoísmo, interesse pessoal, indiferença, orgulho, lascívia e todo o nosso corpo arde de desejo pelo que é pecado, toda nossa boa vontade não pode mudar quem nós somos, a não ser que haja uma Regeneração, ou um novo nascimento por uma nova paternidade (ao invés de nascermos segundo a descendência de Adão, nascermos de Deus), e foi exatamente para isso que Jesus Cristo veio. Jesus revela o nosso coração e o coração de Deus. Jesus nos trouxe o Pai, Ele nos mostra o caminho para o coração do Pai e nos promete o Seu Espírito, que é o poder de Deus que regenera e transforma o homem segundo a vontade de Deus.

João 16:7-8, Todavia, digo-vos a verdade: que vos convém que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, se eu for, enviar-vo-lo-ei. E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça, e do juízo:

Pronto. A Palavra da Verdade é anunciada, o pecador ouve e percebe sua nudez e vergonha, O Espírito Santo começa a convencê-lo de que não pode salvar-se sozinho da ira justa de Deus e gera arrependimento no coração que leva a conversão.

  1. O que isso te faz sentir?
  2. Você se identifica com esse pecador pobre, cego e nú?
  3. Está sentindo desprezo por esse corpo mortificado pelo pecado e percebe que precisa da graça de Cristo?

Não é sobre aceitar Jesus como Salvador para não sermos lançados no inferno, é se cremos que estamos mortos e Ele é tudo que temos, tudo que precisamos e é o Único que com seu sangue, pode nos reconciliar com a justiça de Deus (Leia Hebreus 10:19-22). O homem que nasce de novo, não teme o inferno, mas sente um profundo desejo por conhecer mais a Deus, pois por receber o Seu Espírito, recebe a natureza santa de Deus que opera o querer e o efetuar (Filipenses 2:13).

Portanto, no tempo que se chama HOJE, Deus nos dá uma oportunidade inigualável de conhece-Lo. Ele nos amou e enviou Jesus. O Filho veio e viveu perfeitamente toda a vontade de Deus (cumpriu a Lei perfeita), como homem, suportou e venceu todas as provações e tentações(Hebreus 4:14-16), foi morto e morte de cruz (Gálatas 3:13), e Deus o ressuscitou de entre os mortos (Atos 2:24 e 36), e o Filho vive e reina, e está assentado a Direita de Deus o Todo Poderoso. Não é somente crer que Jesus existiu, mas é crer na sua obra redentora na cruz por nós pecadores. Ele enviou o Seu Espírito para convencer o homem de tudo que é preciso para que ele tenha uma nova vida pela fé na Palavra incorruptível de Deus. O homem que é convencido da Verdade de Deus em Jesus cristo por meio do Seu Espírito, é justificado pela fé e começa sua jornada de santificação pelo agir do Espírito Santo que vem habitar no novo homem, guia-lo e sela-lo para o Dia da volta de Cristo. Nós precisamos amar as almas e pregar o Evangelho a elas, ao invés de nos apressarmos em contabiliza-las para nossa própria vanglória. Acho incrível e profundo esse trecho que Aidan Wilson Tozer escreveu em seu livro A Procura de Deus:

No momento em que o Espírito nos impulsionou para a vida na regeneração, todo o nosso ser sente nosso parentesco com Deus e salta em alegre reconhecimento. Esse é o nascimento celestial sem o qual não podemos ver o reino de Deus. Não é, no entanto, um fim, mas um início, pois agora começa a busca gloriosa, a exploração feliz do coração das infinitas riquezas da Divindade. É aí que começamos, mas onde pararemos, nenhum homem ainda descobriu, pois não há limite nem fim nas terríveis e misteriosas profundezas do Deus Trino. Ter encontrado Deus e ainda persegui-lo é o paradoxo das almas do amor, desprezado de fato pelo religioso facilmente satisfeito, mas justificado pela feliz experiência dos filhos do coração ardente. A vida de Davi foi uma torrente de desejo espiritual, e seus salmos tocaram com o grito do da alma sedenta eo grito alegre da alma saciada. Paulo confessou que a fonte principal de sua vida era seu desejo ardente por conhecer a Cristo. "Para que eu possa conhecê-lo" (Filipenses 3:10) esse foi o alvo do seu coração, e para isso ele sacrificou tudo. "Sem dúvida, e considero todas as coisas como perda pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por quem sofri a perda de todas as coisas e as considero como esterco, para que eu possa ganhar a Cristo" (Filipenses 3: 8). 

Leia as Referências a seguir: 

Romanos 10:9-10 ; Atos 2:38-40 ; Romanos 6:22-23 ; 1João 1:8-10

Concluindo, quando você ouve a pregação do Evangelho, você ouve sobre a boa notícia de Deus que preparou um meio para salvar o homem condenado por seu pecado. Porque o que foi impossível ao homem, foi possível para Deus por meio de Jesus Cristo que viveu e cumpriu toda a vontade de Deus perfeitamente, levou a morte que é o salário do pecado que deveria recair sobre nós, pois o pecado era nosso e Deus aprovou seu sacrifício, ressuscitando Ele dentre os mortos e por isso Ele é Justo e o Justificador dos que nEle creem. É por isso que o Evangelho não é religião, pois não é o homem tentando salvar-se por meio do que faz ou deixa de fazer, mas única e exclusivamente pela fé na suficiência do sacrifício de Cristo, e as nossas boas obras são simplesmente uma evidência de que cremos nEle para a salvação e o recebemos como Senhor das nossas vidas. E embora justificados perante Deus pela fé em Cristo, estando em paz com a Sua justiça pela virtude de Cristo, continuamosnesse vaso de barro que é o nosso corpo e agora com a força do Espírito Santo, recebemos ajuda para vencer o pecado, negar a vontade da carne pelo domínio próprio e resistir os pensamentos pecaminosos que são imprevisíveis, pois o Espírito nos santifica pela Palavra da Verdade. É imprescindível para o nascido de novo manter uma rotina de oração e leitura da Palavra de Deus, pois é por meio dela que somos limpos e crescemos no conhecimento de Jesus Cristo. Quando recebemos essa iluminação (lembre que os filhos da desobediência não tem ainda essa consciência que nos foi dada pelo poder do Espírito de Deus), que clamamos a Deus por ajuda, pois nos vemos incapazes de nos libertar e nos purificar sozinhos. Portanto, o Evangelho é a demonstração do desejo salvador de Deus que voltemos pra Ele, sendo Ele mesmo o que fez tudo que era preciso para tornar possível essa reconciliação e a glória fosse toda dEle.

Os judeus pedem sinais milagrosos, e os gregos procuram sabedoria; nós, porém, pregamos Cristo crucificado, o qual, de fato, é escândalo para os judeus e loucura para os gentios, mas para os que foram chamados, tanto judeus como gregos, Cristo é o poder de Deus e a sabedoria de Deus. Porque a loucura de Deus é mais sábia que a sabedoria humana, e a fraqueza de Deus é mais forte que a força do homem. Irmãos, pensem no que vocês eram quando foram chamados. Poucos eram sábios segundo os padrões humanos; poucos eram poderosos; poucos eram de nobre nascimento. Mas Deus escolheu o que para o mundo é loucura para envergonhar os sábios e escolheu o que para o mundo é fraqueza para envergonhar o que é forte. Ele escolheu o que para o mundo é insignificante, desprezado e o que nada é, para reduzir a nada o que é, a fim de que ninguém se vanglorie diante dele. É, porém, por iniciativa dele que vocês estão em Cristo Jesus, o qual se tornou sabedoria de Deus para nós, isto é, justiça, santidade e redenção, para que, como está escrito: “Quem se gloriar, glorie-se no Senhor”.” (1 Co 1:22-31)

Leia as referências a seguir:

  1. Romanos 7:24, a consciência de que precisa de um libertador.
  2. Romanos 7:25, O Espírito nos faz saber quem pode nos libertar.
  3. Romanos 8, a eficácia do poder libertador de Cristo como Senhor e Salvador.
  4. 1 João 3:11-24, conhecendo que somos da Verdade.
  5. 2 Pedro 3:14-18, permanecendo firmes na Palavra e crescendo na graça de Cristo.

Deus te abençoe e te conceda o verdadeiro arrependimento que o leve ao pleno conhecimento da verdade libertadora de Cristo.